Notícias

Escola Família Agrícola é proposta educacional para amenizar problemas de sucessão rural na região central do RS

A sucessão familiar nas propriedades rurais é um problema social que afeta muitas famílias no Brasil. Com a saída dos filhos para estudar em outras regiões, muitas vezes eles não retornam para dar continuidade ao trabalho rural. Pensando nisso, o Grupo Pró-EFA-Centro realizou uma pesquisa em 2023 onde identificou que 83% das famílias rurais desejam que seus filhos permaneçam na agricultura. A pesquisa ainda apontou que 90,3% dos respondentes estão vinculados a alguma cooperativa e que, em geral, a região conta com propriedades de pequena escala de produção. Um centro de formação agrícola pode ser uma alternativa para amenizar esse problema social, além de auxiliar nos processos de desenvolvimento rural.

 

A proposta foi apresentada na assembleia de apoio para criação da Escola Família Agrícola (EFA) Centro, que aconteceu na manhã de terça-feira, 18/04, nas dependências do ginásio da Paróquia São Bonifácio em Agudo/RS. Representantes dos municípios de sua abrangência participaram do evento, que contou com a presença de diversos segmentos da sociedade, além de instituições públicas e privadas.

 

Além dos integrantes do grupo Pró-EFA-Centro, RS, participaram com falas no evento, a Associação Gaúcha Pró-Escolas Famílias Agrícolas (AGEFA) abordando a concepção de uma Escola Família Agrícola, a Pró-reitoria de Extensão da Universidade Federal de Santa Maria  (UFSM) através da sua atuação com o Geoparque Quarta Colônia Aspirante UNESCO e demais atividades extensionistas, egressos da EFA, secretário estadual adjunto de Obras e Habitação do Governo do estado, o presidente do Consórcio de Desenvolvimento Sustentável da Quarta Colônia (Condesus - Quarta Colônia), agricultores, professores e pessoas da comunidade. Participaram agricultores familiares, várias delegações de escolas com seus alunos e todas as falas demonstraram a relevância do apoio público para a escola, a educação e para a sucessão rural e continuidade dos saberes e fazeres destes agricultores.

 

A Escola Família Agrícola promove a formação do Ensino Médio, que segue a base curricular do Ministério da Educação e oferece o Ensino Técnico em áreas como agropecuária, sustentabilidade, agroecologia, manejo animal, agricultura e agroindustrialização, turismo.

 

O diferencial de uma EFA em relação a uma escola tradicional é que os instrumentos pedagógicos utilizados buscam maior integração entre a escola e a comunidade, valorizando a formação integral de estudantes do meio rural e harmonizando as demandas específicas da vida no campo com as do ensino e profissionalização, por meio da Pedagogia da Alternância. Em uma Escola Família Agrícola (EFA) o estudante alterna um tempo (semana) na escola e outro na comunidade, juntando os muitos e diversos conhecimentos desses espaços complementares entre si.

 

A EFA Centro terá abrangência em 15 municípios da região Central do RS, incluindo Agudo, Dona Francisca, Faxinal do Soturno, Nova Palma, Pinhal Grande, São João do Polêsine, Ivorá, Silveira Martins, Restinga Seca, Formigueiro, Paraíso do Sul, Novo Cabrais, Cerro Branco, Ibarama e Lagoa Bonita do Sul. A EFA Centro é um movimento regional, de construção coletiva, em torno de um projeto de escola do campo, que valoriza o jovem e as famílias da agricultura familiar em uma formação integral fundamentada em princípios de sustentabilidade ambiental e social. 

 

Durante o evento, o município de Agudo manifestou seu interesse em implantar a Escola Família Agrícola Centro, sendo entregue pelo prefeito um ofício ao Grupo Pró-EFA Centro/RS. A presença das instituições públicas e privadas, bem como representantes das diferentes instâncias da sociedade demonstraram o sucesso do evento e a consolidação de um movimento fortalecido em busca da criação de uma Escola Família Agrícola na região Central do RS.

 

Texto: Ezequiel Redin, Professor de Extensão Rural do Colégio Politécnico e integrante da subdivisão de Geoparques da UFSM.

Revisão: Tiago Luiz Janner; Angelita Zimmermann.

Movimento em prol da EFA apresentou pesquisa com 372 pessoas demonstrando uma significativa necessidade da sociedade pela implementação de uma Escola Família Agrícola na região central do RS
Movimento em prol da EFA apresentou pesquisa com 372 pessoas demonstrando uma significativa necessidade da sociedade pela implementação de uma Escola Família Agrícola na região central do RS
Realização