O Geoparque Quarta Colônia Aspirante UNESCO

O Geoparque Quarta Colônia Aspirante UNESCO

O Geoparque Quarta Colônia Aspirante UNESCO é formado por nove municípios da região central do Rio Grande do Sul (Brasil): Agudo, Dona Francisca, Faxinal do Soturno, Ivorá, Nova Palma, Pinhal Grande, Restinga Sêca, São João do Polêsine e Silveira Martins. Este é uma iniciativa do Consórcio de Desenvolvimento Sustentável da Quarta Colônia (Condesus) e da Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Atualmente, já possui uma trajetória e condições para a efetivação da proposta, dentre elas, a singularidade geológica (pré-requisito indispensável para o pleito) e principalmente, interesse da comunidade acadêmica e técnico-administrativa da UFSM e da gestão do Condesus Quarta Colônia em contribuir com a população desses lugares na construção de tal estratégia de desenvolvimento endógeno regional. 

 

Sua intenção é implementar e coordenar uma proposta de geoparque no território da Quarta Colônia visando novas alternativas para a economia regional, de forma sustentável, por meio da conservação do patrimônio natural e cultural, da educação para o meio ambiente, incentivo à geração de renda através de iniciativas públicas, privadas ou mistas e do turismo regional. 

 

 

 

 

Os nove municípios que compõem a Quarta Colônia, apresentam uma condição ímpar dentro do Brasil para a criação de um Geoparque. Isso se dá pela beleza natural das suas paisagens, da abundância de água de seus rios e de suas cascatas, da raridade dos fósseis ali encontrados - que testemunham as mudanças ambientais do planeta nos últimos 250 milhões de anos - e pela cultura preservada dos seus imigrantes. Esses conjuntos de características, se bem articuladas, podem permitir que essas comunidades possam deixar, às próximas gerações deste planeta, um futuro em que a qualidade de vida esteja em sintonia com a conservação da sua cultura e com a sua herança geopatrimonial.

 

No ano de 2018 algumas iniciativas já ocorreram na UFSM e nos territórios para a efetivação desse projeto. Foram realizadas reuniões ampliadas internas e outras específicas com os gestores municipais da Quarta Colônia (Condesus). Já em 2019, com o intuito de dar prosseguimento ao projeto e estreitar parcerias junto aos municípios, 14 (quatorze) projetos de extensão iniciaram as suas atividades nas áreas que integram os futuros geoparques e em 2020 e início de 2021 esse número cresceu para 32 (trinta e dois) projetos de extensão, abrangendo mais áreas de atuação desde o teatro e outras artes, até a culinária e gastronomia, línguas, história, arqueologia, paleontologia, bem como a geologia e biodiversidade destes locais. 

 

Também foram organizados eventos educativos e turísticos para a preservação de uma memória coletiva, por meio da troca e construção de saberes com pessoas locais, convidados nacionais e internacionais e extensionistas parceiros dos geoparques. Além disso, por meio dessas iniciativas, o Geoparque Quarta Colônia Aspirante UNESCO visa, ainda, a auxiliar na profissionalização de produtores locais, na preservação de seus patrimônios, no compartilhamento de suas heranças e na celebração de suas produções artísticas ligadas aos diferenciais encontrados nessas regiões. 

 

Através da apropriação do conceito de geoparque pela comunidade, da capacitação de profissionais e microempreendedores, da pesquisa, da extensão, da memória cultural e da articulação das entidades que fazem parte da gestão da proposta do Geoparque Quarta Colônia, da universidade junto ao poder público local, entidades e sociedade civil organizada, a proposta vem se tornando a cada ano mais próxima de se concretizar efetivamente como um Geoparque Mundial da UNESCO.

 

Para outras informações, acesse:

Site do CONDESUS Quarta Colônia: condesusquartacolonia.com.br

Site da UFSM: ufsm.br

Site da Pró-Reitoria de Extensão da UFSM: ufsm.br/pre

Site Institucional do Geoparque Quarta Colônia: ufsm.br/pre/geoparque-quarta-colonia


​Revisão feita por Bianca Guimarães e Natália Huber.

Realização