Os nove municípios da Quarta Colônia

Os nove municípios da Quarta Colônia
Agudo (Data de Fundação: 16/02/1959)

O Município de Agudo está localizado na Depressão Central gaúcha, distante 240 km da capital e com 83 metros de altitude em relação ao nível do mar. A área territorial é de 536, 114 km², com população estimada pelo IBGE, em 2019, de 16.461 habitantes. O nome Agudo deriva do Morro com formato pontiagudo, com 429m de altitude, que desponta na várzea do Rio Jacuí e encontra-se ao final da principal avenida da cidade, a Avenida Concórdia. O primeiro diretor da Colônia Santo Ângelo foi Florian Von Zurowski, que logo foi substituído pelo Barão Von Kahlden. A partir de 1865, a Colônia Santo Ângelo se torna parte do 1º Distrito de Cachoeira do Sul. O movimento de emancipação de Agudo foi iniciado a partir de 1957. A Lei nº 3.718 de 16 de fevereiro de 1959 criou o município de Agudo.

Para ser mais, visite: https://agudo.rs.gov.br..

Dona Francisca (Data de Fundação: 17/07/1965)

O atual município de Dona Francisca fazia parte da antiga Colônia, de Santo Ângelo. Foi criado em 1883 e situa-se às margens direita do rio Jacuí e antes de sua emancipação pertencia ao Município de Cachoeira do Sul. O rápido desenvolvimento econômico, fruto do trabalho dos imigrantes, fez com que Cachoeira do Sul, no primeiro quarto deste século, instalasse em Dona Francisca a sede do 5º distrito, constituído pelas localidades de Dona Francisca, Faxinal do Soturno, Linha Ávila, Santos Anjos, Polêsine e Vale Vêneto. Em 1965, Dona Francisca consegue sua autonomia, pela Lei nº 4993, de 17 de julho de 1965, desmembrando-se de Faxinal.

Para ser mais, visite: https://www.donafrancisca.rs.gov.br.

Dona Francisca (Data de Fundação: 17/07/1965)
Faxinal do Soturno (Data de Fundação: 12/02/1959)

Colonizado por imigrantes italianos, tem presença desta cultura que se manifesta nos costumes, hábitos, alimentação, nos monumentos e na vivência religiosa de sua gente. O município é situado na Depressão Central, no coração do Rio Grande do Sul, entre o Jacuí a leste e a Serra de São Martinho a oeste. Além disso, possui uma área territorial de 180 km², com um relevo privilegiado formado por montes e vales, recortado por rios e grutas, proporcionando um conjunto harmonioso que lhe dá muita beleza. Faxinal do Soturno emancipou-se de Cachoeira do Sul, em plebiscito realizado no dia 30 de Novembro de l958 e o Novo Município foi criado pela Lei Estadual nº 3.711, de 12 de Fevereiro de 1959. A comemoração do aniversário do município é realizada no dia 12 de fevereiro. 

Para ser mais, visite: http://www.faxinaldosoturno.rs.gov.br.

Ivorá (Data de Fundação: 09/05/1988)

O Município de Ivorá foi colonizado por imigrantes italianos que chegaram em setembro de 1883. A emancipação político-administrativa deu-se em 1988. Ivorá conta, atualmente, com uma população aproximada de 90% de descendentes italianos e 10% de descendentes de outras etnias. Os principais pontos turísticos da cidade são a Casa Alberto Pasqualini que se constitui da casa-museu onde nasceu o mais ilustre filho desta terra, o Senador Alberto Pasqualini, a Praça Central, o Conjunto Arquitetônico da Matriz com o Memorial das Águas, o Morro da Cruz e o CTG nas imediações da cidade. No meio rural, Ivorá possui lindas cascatas, um abrigo indígena, um balneário, belas capelas e capitéis espalhados por todo o município e seu ponto turístico mais conhecido, o geossítio Monte Grappa.

Para ser mais, visite: https://www.ivora.rs.gov.br.

 

Ivorá (Data de Fundação: 09/05/1988)
Nova Palma (Data de Fundação: 29/07/1960)

Nova Palma é um município de pequeno porte situado na Região Central do Estado do Rio Grande do Sul, na chamada Quarta Colônia de Imigração Italiana. Quando ainda Distrito, teve o nome de Barracão e de Soturno. Emancipado de Júlio de Castilhos, em 29 de julho de 1960, recebeu a atual denominação devido ao grande número de palmas existentes no perímetro urbano. Os atrativos culturais e naturais atraem muitas pessoas para Nova Palma, especialmente o Balneário Municipal, que é um dos pontos mais visitados pelos veranistas da região, e a Rota das Esculturas, conjunto de 12 obras esculpidas pelo artista Rogério Bertoldo e expostas no caminho que liga a cidade ao Jardim das Esculturas.

Para ser mais, visite: http://www.novapalma.rs.gov.br.

Pinhal Grande (Data de Fundação: 20/03/1992)

Pinhal Grande foi criado pela lei municipal nº 9600 de 20 de março de 1992 e possui 474,80 km² de área, localizada na região do Planalto Médio. O relevo é composto de gramíneas e mata nativa, destacando – se o Pinheiro. O município integra a 4 ª colônia de imigração italiana e hoje é composto por descendentes de italianos, portugueses e espanhóis. A exploração do potencial turístico de Pinhal Grande avança progressivamente na medida em que as autoridades locais investem na infra-estrutura necessária para o seu pleno desenvolvimento. Sua paisagem é marcada pela presença de diversos cursos d'água tais como: Os arroios “do tigre”, “Redomona”, “Ferreira” e “Taquarianos”, além do Rio Jacuí proporciona várias belezas naturais, com destaque para as cascatas.

Para ser mais, visite: https://www.pinhalgrande.rs.gov.br.

Pinhal Grande (Data de Fundação: 20/03/1992)
Restinga Seca (Data de Fundação: 25/03/1959)

Restinga Sêca surgiu no município de Cachoeira do Sul, em 1899. Já no ano de 1892, por Ato Municipal, tinha passado a quarto Distrito de Cachoeira. O município é localizado na Região Central do Rio Grande do Sul, e atualmente, conta com 15.849 habitantes e com uma área de 954,76 km². A cidade teve origem na doação de sesmarias e com a construção da estrada de ferro Porto Alegre-Uruguaiana em 1885. Devido, a sua situação geográfica, recebeu o nome de Restinga (orla de bosque ou mato em baixadas, à margem do arroio ou sangas) Seca (origina de uma sanga denominada Passo da Porteira, que em época do ano, ficava com pouca água e cortava o curso). A formação étnica do município é composta predominantemente por quatro etnias: alemã, italiana, portuguesa e afro-brasileira, produzindo assim, uma diversidade cultural.

Para ser mais, visite: http://www.restingaseca.rs.gov.br.

S. João do Polêsine (Data de Fundação: 20/03/1992)

São João do Polêsine nasceu da união da religiosidade e da saudade da velha terra. Inicialmente, chamado de Terra de Manoel Py, com o passar dos anos foi chamado de São João do Polêsine, uma forma de agradecer ao Padroeiro São João Batista pela boa acolhida na terra nova e manter viva na lembrança a Polêsine das planícies do Rio Pó, no norte da Itália. Situado na parte central do Vale do Jacuí, a cidade fica a 45 quilômetros de Santa Maria e integra a Quarta Colônia de Imigração Italiana do Estado. Com seus 2,7 mil habitantes é um município em desenvolvimento. A emancipação chegou em 1992, com o empenho da população, e a instalação da primeira administração ocorreu em 1993. São João do Polêsine é conhecido por seu Distrito Turístico de Vale Vêneto, que se destaca pela sua beleza exuberante, onde a Igreja de Corpus Christi impõe sua grandiosidade em cima da colina.

Para ser mais, visite: https://saojoaodopolesine.rs.gov.br.

S. João do Polêsine (Data de Fundação: 20/03/1992)
Silveira Martins (Data de Fundação: 11/12/1987)

Silveira Martins é conhecida como Berço da Quarta Colônia por receber as primeiras levas de imigrantes italianos da região central do estado do RS, dando início ao 4º Núcleo de Imigração Italiana do RS, juntamente com os outros três primeiros núcleos: Caxias do Sul, Bento Gonçalves e Garibaldi. Emancipada de Santa Maria no dia 11 de Dezembro de 1987, Silveira Martins possui como base da economia o cultivo do feijão, soja, milho e batatinha, e também da atividade turística, que atrai inúmeros visitantes para desfrutarem da saborosa gastronomia e dos belíssimos atrativos religiosos, naturais e históricos que só Silveira Martins, por ser o Berço da Colonização Italiana do Centro do estado pode oferecer. Visitar Silveira Martins, hoje, é apreciar um pouco da beleza do passado e descobrir a pujança deste povo, fortalecido pelo trabalho e dedicação pessoal, característica dos italianos. É reviver também as tradições italianas,que sobrevivem há mais de um século de colonização.

Para ser mais, visite: https://silveiramartins.rs.gov.br.

Realização